11 mai Pós-Parto

Baby Blues


A Tristeza Materna ou Baby Blues, você sabe o que é?

por Maiana Rappaport

When baby brings the blues … postnatal depressionOs sintomas mais frequentes do Baby Blues são: tristeza, irritabilidade, ansiedade, choro, mudanças bruscas de humor, indisposição, insegurança, baixa auto-estima e sensação de incapacidade de cuidar do bebê. Esses sentimentos acontecem devido às rápidas alterações nos níveis hormonais, associados ao estresse do parto e à passagem pela situação de espera ansiosa, típica do final da gravidez, para a de conscientização da nova realidade. A maternidade, além de satisfaçã,o significa também assumir novas tarefas. A limitação de algumas atividades anteriores ao parto, um novo papel a ser desempenhado, carregado de incertezas e inseguranças.

Após o nascimento concreto do corpo do bebê, no parto, o período do Baby Blues é o do nascimento simbólico do novo ser. Torna-se necessário elaborar a transformação da filha em mãe, a transformação da autoimagem corporal, a administração da relação entre a sexualidade e a maternidade. Bem como a perda do bebê da fantasia da gravidez, no pós-parto a mãe vai entrando em contato com o bebê real, um ser de desejo independente, separado dela.

O Baby Blues é um quadro benigno e vai sendo superado por volta do primeiro mês de forma espontânea. Apesar de ser comum e normal envolve uma quantidade razoável de sofrimento que pode ser atenuado na medida em que a mãe sente-se apoiada para cuidar do bebê e vá sentindo-se mais segura em desempenhar a função materna. O apoio que ela necessita pode ser oferecido pela família, profissionais especializados e grupo de apoio ao pós-parto, onde pode compartilhar o seu sofrimento junto a outras mulheres em igual situação, sob a orientação de um profissional.

Klaus & Kennel, Pais/ Bebê: a formação do apego, Porto Alegre, Artes Médicas, 1992.
Langer,M. – Maternidade e sexo, Porto Alegre, Artes Médicas, 1981.
Szejer,M. Palavras para nascer: a escuta psicanalítica na maternidade, São Paulo, Casa do Psicólogo, 1999.
Soifer,R. Psicologia da gravidez, do parto e do puerpério, Porto Alegre, Artes Médicas, 1980.
Winnicott,D. (1956) Da Pediatria à Psicanálise, Rio de Janeiro, Imago, 2000.
Os bebês e suas mães, São Paulo, Martins Fontes, 1994.

A Casa Curumim oferece toda segunda-feira, o Grupo de Pó-Parto Conversa de Mães, comandado pela psicóloga Maiana Rappaport. Para mais informações, acesse o link a seguir: http://www.casacurumim.com.br/grupo-pos-parto-conversa-de-maes/

Deixe seu comentário