Apoio à amamentação – Dúvidas mais frequentes


A boa alimentação começa com a amamentação.

A amamentação é mais fácil quando as mães têm informações sobre as práticas saudáveis para ela e para os seus bebês, incluindo a importância do aleitamento exclusivo durante os primeiros seis meses de vida. Mesmo quando existem obstáculos, a amamentação pode ser mantida se as mães receberem a compreensão e apoio dos familiares, dos amigos, da equipe de saúde e no seu ambiente de trabalho. A crescente urbanização e as mudanças nas estruturas familiares têm debilitado estes mecanismos de apoio social.

Por que o leite materno é bom?

O leite materno é forte e adequado para o bebê, que não vai necessitar de outro alimento até os seis meses. Depois dessa idade deve ser mantido e a alimentação complementar deve ser introduzida.

Será que existe leite fraco?

Não. O leite nunca é fraco. A aparência do leite muda conforme a fase da amamentação: nos primeiros dias o leite é geralmente em pequena quantidade. É o colostro, leite concentrado nutritivo e com muitos anticorpos. É a primeira vacina do bebê. No começo da vida é muito importante que ele receba o colostro a toda hora. Além de dar proteção, ajuda a treinar o jeito de mamar. Com o passar do tempo o peito produz leite adequado às necessidades e à idade do bebê, mudando de aparência conforme a duração da mamada. No início ele é mais aguado e ao final da mamada é mais gorduroso.

O que fazer para ter bastante leite?

Quando o bebê começa a mamar, quando nasce, ainda na sala de parto, a descida e a produção do leite são mais rápidas. Quanto mais o bebê mama, mais leite se produz. A produção do leite acontece quando o bebê suga. Beba no mínimo 2 litros de água por dia. Para manter boa produção de leite, a mãe deve oferecer o peito ao bebê sempre que ele quiser e amamentar durante a noite. Descansar também ajuda. Para o bebê mamar mais, não dê a ele chás, água, sucos ou outro tipo de leite nos seis primeiros meses de vida.

Como amamentar o bebê?

breastfeeding_positions_2

Algumas posições.

A mãe deve estar confortável. Se achar necessário poderá apoiar os pés, os braços e as costas, O uso de travesseiros costuma ajudar. A posição do bebê também é importante, ele precisa estar de frente para o peito, bem encostado no corpo da mãe, com o bumbum apoiado pela mão da mãe. Quando o bebê abocanha uma grande parte da aréola (aquela parte mais escura do peito em volta do bico) fica mais fácil extrair o leite de dentro do peito e protege o peito de rachaduras. Uma dica para o bebê abrir bem a boca e pegar bastante aréola: passe o bico do peito na parte que fica entre a boca e o nariz. Há mais aréola visível acima da boca do que abaixo. A criança deve esvaziar totalmente uma mama, para então depois ou na próxima mamada mamar da outra.

O que fazer para evitar rachaduras?

Baby breastfeeding

A pega correta. A famosa boca de “peixinho”.

Para não tirar a proteção natural da pele da aréola, não passe cremes, sabonetes ou loções e evite esfregar ou massagear os mamilos. Passar o próprio leite, depois das mamadas, limpa e protege a aréola. Ensinar o bebê a abrir bem a boca na hora de abocanhar e amamentar é o mais importante para prevenir e evitar rachaduras.

Como evitar que o leite empedre?

expressing-milk_364x200

Para evitar o empedramento, toda vez que o peito estiver muito cheio ou pesado ele deve ser esvaziado. Para retirar o leite do peito, faça massagens suaves em todo o peito. Depois coloque o polegar e o indicador na linha que divide a aréola do restante do peito e aperte suavemente um dedo contra o outro. O leite inicialmente sai em gotas e logo após em pequenos jatos.

Por que não se deve usar mamadeira ou chupeta?

nao-chupeta-e-mamadeira

Quando o bebê experimenta outro bico dentro da boca, ele pode ficar confuso e começar a atrapalhar-se na hora de mamar – às vezes isso leva-o a abandonar o peito. Além disso, as mamadeiras e chupetas são difíceis de limpar e esterilizar, podendo causar infecções.

A alimentação da mãe pode prejudicar a amamentação?

Não. A maioria dos alimentos não afeta a amamentação. Comer um pouco mais que o habitual é suficiente para essa fase em que o corpo está produzindo leite. Os alimentos ácidos não “talham” o leite. Não é necessário tomar mais leite de vaca para produzir leite. Recomenda-se que a mãe ingira 2 litros de água por dia. Café, chá preto ou mate e refrigerantes em grande quantidade podem provocar cólicas no bebê. Parar temporariamente com eles vai mostrar se são os causadores das cólicas. As bebidas alcoólicas e o cigarro são desaconselháveis porque podem afetar a saúde do bebê.

As mães podem tomar medicamentos durante a amamentação?

A maioria dos medicamentos é compatível com a amamentação. A mãe só deve tomar remédios quando orientada pelo médico ou por um profissional habilitado.

O que mais a mãe pode fazer para produzir mais leite?

Muitas mulheres voltam para suas atividades normais e nem sempre conseguem tempo para descansar. Além de todo o trabalho que já faziam antes, elas também estão produzindo leite. Descansar, sempre que possível, nos intervalos das mamadas pode ajudar.

Qual a idade de parar de amamentar?

A amamentação é recomendada até dois anos ou mais. O leite acompanha o crescimento do bebê e ainda conté, proteínas, vitaminas, energia e anticorpos para a melhor proteção da criança. Depois de dois anos de idade, mãe e bebê devem decidir se continuam ou não.

Quando a mãe engravida novamente pode continuar a amamentar?

Sim! Uma nova gestação não prejudica o leite, mesmo que mude um pouquinho o seu gosto. O bebê às vezes estranha, mas logo se acostuma. A amamentação não costuma prejudicar o bebê que está se formando. O médico ou profissional que acompanha o pré-natal deve orientar essa nova gravidez.

Como fazer para trabalhar e amamentar?

Durante a licença-maternidade dar só de mamar, sem qualquer outro líquido. Depois desse período, peça para levar o bebê consigo ao trabalho, para continuar a amamentação. Se não for possível, peça à pessoa que vai cuidar do bebê para levá-lo ao seu trabalho para que você mesmo possa amamentá-lo. Ou, se for coloca-lo em um berçário, tente fazer saídas para amamentar. Se seu trabalho for perto de casa ou da escola, aproveite a “pausa amamentação” para ir amamentar.

Caso estas medidas não sejam possíveis, a mãe pode:

  • Uma ou duas semanas antes de voltar ao trabalho, começar a tirar i seu leite e guarda-lo para fazer um estoque;
  • Amamentar antes de sair de casa para o trabalho e imediatamente após regressar;
  • Amamentar durante a noite;
  • No trabalho, se possível, retirar o leite, tantas vezes quanto o bebê mamaria se estivesse com a mãe;
  • Na ausência da mãe, o leite estocado deve ser dado em xícara ou copinho;
  • Evitar mamadeiras e chupetas.

Como fazer para conservar o leite estocado?

store-breast-milk-safely

  • No trabalho, a mãe pode, após lavar as mãos, retirar e guardar seu leite em um frasco de vidro, com tampa plástica de rosca, lavado e fervido. Se houver geladeira, manter sob refrigeração. Se não houver, manter em isopor com gelo;
  • Conservação e validade:

Na geladeira: leite cru – 12 horas | leite pasterizado degelado – 24 horas

No freezer: leite cru – até 15 dias | leite pasteurizado – 6 meses

(fonte RDC 171/2006 – ANVISA)

  • O leite materno deverá ficar o menos possível à temperatura ambiente. Caso você decida doar o excesso do seu leite a um Banco de Leite Humano, congele-o imediatamente após a ordenha.
  • Para ser dado ao bebê, o leite deve ser descongelado e aquecido no próprio frasco, em banho-maria. O leite materno não pode ser descongelado em microondas e não deve ser fervido.
  • Evite o uso de mamadeira. Os bebês podem tomar leite em xícara ou copinho. O leite aquecido que não foi usado deve ser jogado fora.
  • Caso esse armazenamento não seja possível, para manter a produção ela deve apenas ordenhar seu leite e jogá-lo fora.

A família pode ajudar na amamentação?

Sim! Todos podem ajudar a mãe a amamentar: dando apoio e reconhecendo que a amamentação é importante para a saúde de todos, ajudando nos afazeres domésticos e entendendo que amamentar é um momento de muita sensibilidade.