Voce esta vendo os artigos na categoria “Artigos”
5 jun Artigos

Falando de Homeopatia


Por Dr. Alexandre Funcia

Estou iniciando aqui no site da Curumim uma coluna falando um pouco sobre Homeopatia.

Achei importante começar abordando três perguntas frequentes feitas a mim:

O que é Homeopatia?

Como surgiu?

Em que se baseia?

Various mother tinctures of homeopathic medicine

Homeopatia é o nome que o médico alemão Samuel Hahnemann deu a uma modalidade de entendimento do processo saúde-doença e de tratamento médico criada por ele no final do século XVIII.

A Homeopatia surge num momento da história em algum grau semelhante ao atual. Um médico vê-se profundamente insatisfeito com os efeitos colaterais (por vezes letais) dos medicamentos de seu tempo e, em contrapartida, os pacientes temem profundamente os médicos, por seus tratamentos intensamente agressivos (como sangrias, vomitórios, catárticos, lavagens intestinais, cirurgias desnecessárias e mutilantes, além de remédios muitas vezes venenosos), e temem ainda mais ter de dar entrada nos hospitais, que têm a fama de deixar quem lá entra mais doente ainda, podendo mesmo morrer. Vive-se com pânico pela doença e pânico ainda maior pelo tratamento e por quem o realiza.

A história de como começa essa nova modalidade médica mistura-se com a história de seu criador.

Hahnemann, de família humilde, formou-se médico e clinicou com êxito por anos até que, cuidando de um amigo seu, este morreu em seus braços por conta dos tratamentos da época. Hahnemann fechou então o consultório e passou a traduzir obras médicas, justamente seguindo um princípio hipocrático fundamental, “em primeiro lugar, não fazer mal” (lat. primum non nocere).

Certo dia, enquanto traduzia para o alemão o livro Matéria Médica, do renomado médico escocês William Cullen, deparou-se com uma explicação que considerou descabida para a eficácia do quinino (Cinchona officinalis) nos casos de malária; seu espírito investigativo fez então que ele tomasse o quinino sem mesmo estar doente de malária. Após alguns dias usando a substância, ele começou a observar em si sintomas semelhantes aos da malária. Ao suspender a medicação, cessaram os sintomas.

Em sua época, a formação médica incluía conhecimentos mais sólidos de História da Medicina, e ele lembrou-se dos ensinamentos de Hipócrates, médico grego conhecido como o “Pai da Medicina”, que considerava haver duas maneiras de se tratar um doente:

- pelos contrários, a linha terapêutica predominante a partir de Galeno (médico romano), em que se considera que, para um sintoma do paciente, usa-se uma substância contrária àquele sintoma, como, por exemplo, antitérmicos, antialérgicos, anticonvulsivos, analgésicos (“anti-dor”);

- e pelos semelhantes, em que, se uma substância causa determinado sintoma em uma pessoa saudável, ela curará o mesmo sintoma em uma pessoa doente (os soros usados para picadas de cobras e para o tétano são exemplos, na medicina convencional, dessa lógica de tratamento).

Pois então: Hahnemann viu nesses sintomas que teve com o quinino uma demonstração da “terapêutica pelos semelhantes”.

Fez então testes com outras substâncias comuns da época, como beladona, digital (da flor da planta dedaleira), arsênico, mercúrio, ópio, para ver se se repetia o mesmo fenômeno, o que aconteceu.

Um contemporâneo seu, Albrecht von Haller, administrava medicamentos a pessoas saudáveis antes de empregá-los no doente, para estudar seus efeitos. Baseando-se em seus trabalhos, utilizou os remédios experimentados em si em colegas médicos e em seus próprios parentes, observando e anotando minuciosamente os resultados obtidos. Novamente viu corroboradas suas observações.

Foi compilando os resultados, que confirmavam essa “nova” terapêutica até que, em 1796, publicou seu trabalho “Ensaio sobre um novo princípio para descobrir as virtudes curativas das substâncias medicamentosas, seguido de alguns comentários a respeito dos princípios aceitos na época atual”, em que sistematizava o conhecimento adquirido ao longo de 6 anos de experimentações. Nasce aqui o que ele denominou Homeopatia (do gr. hómoios “semelhante” + páthos = “doença”). Foi Hahnemann quem também cunhou o termo Alopatia (gr. állos, “outro”, “diferente” + páthos, “sofrimento”) para a modalidade médica até hoje hegemônica.

Na próxima semana, darei continuação à Historia da Homeopatia falando do que se denomina Medicamento dinamizado e o por quê de Hahnemann empregar essa técnica de preparação do medicamento, que é um dos pontos em que os detratores da Homeopatia se apóiam para criticá-la.

Até mais…

Página 1 de 11