15 mai Aleitamento Materno

Relato de amamentação


Por Ana Garini, mãe do Rafael. 

A Casa Curumim é, pra minha família, parte de casa. O lugar onde a gente chega, toma um café e é acolhido. Sem frescuras, e sempre, com muito carinho.

Nossa história com eles, começa junto com o nascimento do Rafael, nosso filho, que já vai fazer dez meses. Ele resolveu nascer dia 14 de julho, na sua data prevista, num parto humanizado, divertido, assistido pelo Douglas. Porém , ele veio ao mundo com só 2,5kg (sendo que a previsão era nascer com 3,300kg) e 45 cm. Isso não era problema, pensei eu, porque ele vai mamar muito e recuperamos. Aí veio a segunda notícia: o Rafa tinha uma retração no queixo e não conseguia mamar direito. E eu não vou mentir, depois do pânico do parto , meu maior pânico era amamentar.

Eu achava a amamentação um processo doloroso, difícil, sacrificado, enfim, nada agradável. Aí o Douglas com aquela calma que lhe é peculiar, pediu pra gente passar em consulta com a Teresa, fonoaudióloga.

O Rafa tinha 1 dia de vida quando a Teresa chegou. Direta e reta, ela saiu dando ordens pra mim e pro meu marido.

No começo a gente não gostou, claro. (E ela também não, porque quando ela chegou no quarto do hospital – relato dela- a gente estava preocupado com a ração das cachorras e não com o nosso filho…) Mas , os 2 Douglas e Teresa, não desistiram da gente nem do nosso pequeno. Com carinho, mas com firmeza, nos direcionaram, deram suporte e o Rafa engrenou, aprendendo a mamar não só no peito, mas no copinho também.  Meu marido fazia todos os exercícios antes de cada mamada e eu anotava os detalhes de cada mamada, numa planilha , até o Rafael recuperar o peso; o que aconteceu rápido!

Do meu lado, esses dois me ensinaram a ser uma mãe melhor, a amamentar (experiência que achei muito especial) e não tive NENHUM problema amamentando, nada daqueles relatos horríveis que lia. O processo foi gostoso e o Rafa aproveitou bastante!

Espero que meu filho cresça e continue acolhido por essa casa linda, que cuida de todos os pequenos que lá chegam!

Deixe seu comentário