Doula


A Doula já é uma ocupação reconhecida no Brasil (número 3221-35 na Classificação Brasileira de Ocupações – CBO) cuja atuação contribui em grande escala para evitar que mulheres sejam manipuladas a optarem por uma cesárea por falta de informação adequada e embasada em evidências científicas. Pesquisas comprovam que a grande maioria das mulheres ainda prefere o parto normal no início da gestação (cerca de 70%, contra 30% que dizem preferir a cesárea). Conforme o pré-natal vai avançando, é possível observar que as mulheres que fazem pré-natal pelos convênios geralmente mudam de ideia, e assim no final da gestação as proporções passam para em média 70% de mulheres que optam pela ou acreditam que precisam de uma cesariana (e muitas vezes não precisam). Só que as estatísticas de partos dos convênios estão chegando a 90%, às vezes até mais do que isso, de cesarianas, o que mostra que na verdade muitas dessas cesáreas não são uma opção das gestantes. Muitíssimas mulheres são cesareadas contra suas vontades. Algumas optam pela cesárea por medo de passar por um tratamento desrespeitoso e violento com o plantonista do convênio ou do SUS (o que infelizmente é muito comum: 1 em cada 4 mulheres sofre violência durante seu parto), já que o médico fofo do convênio deixa bem claro desde o início do pré-natal que ele só faz cesárias, e que se ela quiser que ele esteja lá no dia do seu parto, é bom que seja tudo marcadinho e feito de maneira a não atrapalhar seus múltiplos compromissos. É por essas e outras que a Doula é tão importante: porque ela ajuda as mulheres a se informarem de seus direitos e também as prepara a não caírem nos papos inventados muitas vezes para indicar uma cesariana desnecessária.

Profissional

Sandra Sisla

Fisioterapeuta e Doula. Trabalhou por 8 anos no Centro de Referência da Saúde da Mulher, desenvolvendo grupos nas áreas de Oncogineco, Urogineco, Endocrinogineco entre outras para atender as demandas do hospital.É doula desde 2008 pelo Amparo Maternal com extensão em consultoria em amamentação. Passou a atender cada vez mais este público, desenvolvendo trabalho de percepção corporal de preparação para o parto e com reorganização corporal pós parto com atenção especial à musculatura do períneo (assoalho pélvico). É também formadora de professores na área da linguagem corporal, capacitadora de profissionais da área da saúde que atuam com puérperas em projetos pontuais. Trabalha ainda como oficineira de bonecas Waldorf, como instrumento de ampliação da concepção do brincar e do desenvolvimento infantil. É mãe da Carol e da Marininha.

 
Visiane Batista

Se formou na FMU como Enfermeira, concluiu especialização em Obstetrícia pelo Einstein. Foi voluntária na Maternidade Amparo Maternal, trabalhou no Hospital Universitário  da UNIFESP.  Está sempre participando de Congressos, como o Simpósio Internacional de Assistência ao Parto, o COBEON, entre outros. Formou-se em Educadora Perinatal e Consultora em Aleitamento Materno pelo GAMA. Fez Curso de Doula de imersão no Revelando Doulas. Atende Pré-Natal, Parto Domiciliar e Hospitalar e Puerpério incluindo aconselhamento em aleitamento materno em consultório e domiciliar.  É mãe da Marcela, nascida de Parto Normal. Adora viajar, entrar em contato com a natureza, estar com a família e amigos.