4 ago Aleitamento Materno

O Aleitamento Materno na adoção


Por Honorina de Almeida (Nina)

bfa-620x349Quando um casal decide ter um bebê, seja por via biológica ou adotiva, muitos sentimentos são mobilizados. Alegria, excitação, medo e apreensão, podem ser encontrados, pois sabemos que além da gestação orgânica, uma gestação que podemos dizer “emocional” também ocorre. Na adoção muitas dúvidas em relação a possibilidade da amamentação surgem. È possível amamentar? Essa é uma pergunta que sempre surge e a resposta é: Sim é possível amamentar. É um processo que vai além da técnica. As mães referem um sentimento de grande satisfação ao ver as primeiras gotas de leite saindo da mama e poder colocar o bebe no peito. Para saber um pouco sobre esse processo tentamos responder 5 questões que relacionamos abaixo.

Como funciona a amamentação quando a etapa da gestação não acontece?

Como mamíferos, durante a gestação, a glândula mamária passa por estimulo para que a produção de leite ocorra. Após o nascimento a prolactina (hormônio responsável pela produção do leite) é liberada e a primeira descida do leite (apojadura) ocorre. Após essa fase inicial, o controle da produção é feito pela sucção do bebê na mama, que além de estimular as terminações nervosas do mamilo/aréola, esvazia a mama e assim envia uma “ordem” para que o corpo produza o leite. Quer dizer, se o bebê suga, o corpo produz leite, se o bebê não suga o leite deixa de ser produzido.

Na adoção, essa produção inicial de leite não acontece espontaneamente, assim outras vias para estimular a produção de leite e ensinar o bebê a mamar no peito devem ser utilizadas.
É necessário estimular a produção da prolactina que vai agir sobre a glândula mamária e estimular a produção de leite.

Como estimular a produção de prolactina?

Existem medicamentos, chás e alimentos (chamados lactógogos) que ajudam nesse processo. No entanto a a sucção do bebê no peito é fundamental para estimular a função as glândula mamária para que a produção do leite ocorra.

Mas como fazer para que um bebê goste de mamar em uma mama que ainda está vazia?

Para ensinar o bebê a sugar o peito pode-se utilizar um sistema de relactação (um sistema que é composto por uma sonda. Essa sonda é colocada junto à aréola/mamilo de forma que enquanto o bebê suga o peito ele recebe o leite artificial pela sonda). Um ambiente tranquilo e o contato pele a pele também ajudam muito.

Na amamentação adotiva é possível produzir todo o leite que o bebê precisa?

A lactação é a capacidade de produzir leite. A amamentação é o ato em si. Pegar o bebê e segurar junto ao corpo, colocar no seio, o bebê sugar o peito, o contato visual entre mãe e bebê. Alimenta o corpo e também a alma. Então, é importante concentrar-se nesse aspecto. Inicialmente o bebê estará alimentado recebendo o volume (fórmula látea) que precisa pela sonda de relactação. Observando a produção de leite da mãe, podemos ir diminuindo gradativamente o volume dessa fórmula.

O processo é muito trabalhoso?
No começo podemos dizer que sim. A mulher deve ter a possibilidade de contar com outras pessoas que possam oferecer um suporte (alimentação, cuidados com o bebê, preparação do material) que permitam que ela tenha tempo de se dedicar ao bebê e possa também relaxar e descansar. Ajuda fazer um plano de trabalho. Organizar a rotina e contar com o apoio de grupos de amamentação e profissionais que possam acompanhar o processo.

angelina-brad-shiloh-zaharaLembre-se, nessa situação, o desejo de amamentar o filho é o que mais importa. Mesmo as mães biológicas, muitas vezes necessitam de ajuda para amamentar e isso não diminui a sua capacidade de ser mãe.

Além disso, Ter um bebe por si só implica em uma mudança na rotina da família pode ser muito trabalhoso no inicio, mas isso faz parte do processo de cuidar e certamente é uma experiência muito enriquecedora. Lembre-se que esse período passa muito rápido, e a sugestão é aproveitar os bons momentos com o bebê e tentar relaxar nos momentos difíceis, pois eles também vão passar.

Deixe seu comentário