30 abr Temas em Pediatria

“LAÇOS DE ENCANTAMENTO – BRINCADEIRAS DE BEBÊ”


“LAÇOS DE ENCANTAMENTO – BRINCADEIRAS DE BEBÊ”
Do afeto ao desenvolvimento infantil
Lucila Faleiros Neves
Vanessa Andrade Caldeira

pogtez55c8

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar

Vinicius de Moraes
Os bebês nos encantam e surpreendem.
Nos primeiros anos de vida o bebê se desenvolve rapidamente. São muitas descobertas e interesses.

Quando nos deparamos com recém-nascidos, tão dependentes e frágeis, é difícil acreditar, que em 12 meses estarão dando seus primeiros passos e demonstrarão tantas habilidades. Esse desenvolvimento todo, tão rico, deve-se especialmente ao afeto, elemento organizador interno de nossas mentes. Toda aprendizagem começa com afeto!

Desde o período da gestação os pais se preparam para se conectar com o bebê que aguardam e assim poder cuidar adequadamente de um novo ser. O processo biológico natural favorece que os pais reajam acertadamente aos sinais de seus recém-nascidos. Para tanto os pais precisam observar seus bebês, interpretar seus sinais e reagir com bom senso. Para desenvolverem-se bem emocionalmente e intelectualmente os bebês necessitam de relacionamentos ricos, profundos e sustentadores no início da vida.

As crianças aprendem sobre o mundo brincando de maneira ativa. A brincadeira acontece por meio de todo seu aparato sensorial e motor movido essencialmente pelo afeto! A primeira lição de um bebê na causalidade ocorre bem cedo quando, por exemplo, descobre que seu sorriso traz um sorriso responsivo de alegria no rosto de seus pais. A conversa, olho no olho é uma importante forma de relacionamento com crianças de todas as idades. Um olhar, e tudo muda…..

O bebê precisa ter certeza de que aprovamos o que está fazendo! Precisa saber que está indo bem em suas incursões exploratórias! Por isso é importante ter alguém por perto transmitindo segurança e júbilo por suas conquistas.
É consenso, nos dias atuais, que “Brincar é coisa séria”. Através das brincadeiras os bebês conhecem seu próprio corpo, desenvolvem habilidades de movimento, de linguagem, de raciocínio e de interação com o mundo, conquistam habilidades. Brincar com um bebê pede respeito aos seus sistemas fisiológico, motor, afetivo e cognitivo. Estimulação e ambientes adequados são reconhecidos como base para o desenvolvimento saudável.

No 1º ano de vida os bebês aprendem através das sensações que lhes chegam e das experimentações que fazem. Estão muito atentos aos estímulos sensoriais: visuais, auditivos, labirínticos, percepção do corpo e os táteis. As roupas não devem impedir os contatos e movimentos, principalmente das mãos, que exploram o meio o tempo todo. A manga da roupa não deve cobrir as mãos, para que brinque melhor. Quando estão sem roupas, movimentam-se mais.

Para adquirir boa coordenação motora a criança pequena deve ter oportunidades de explorar diferentes espaços e formas e realizar movimentos cada vez mais elaborados. A experimentação reiterativa, característica marcante na infância, realiza-se para responder às necessidades de aprendizagem de cada momento. O bebê se interessa por ver, sentir e compreender os deslocamentos do seu corpo, dos objetos, das pessoas.

Conforme cresce vai cada vez mais longe e se encanta com as novas possibilidades de exploração e arrisca-se cada vez mais. Porém, necessita assegurar-se de que é observado.

Ter oportunidades diferentes como entrar debaixo da mesa ou em uma caixa, brincar de esconder e aparecer, ser empurrado por outro para trás e para frente, balançar na rede ajudam o bebê a saber mais sobre seu corpo e o espaço que o rodeia.

Quando o bebê está acordado e ativo é importante variar as posições em que é colocado. Cada posição oferecerá desafios diferentes, pois a gravidade estará atuando de forma diferente em todo o corpo do bebê. A posição de lado, por exemplo, quando o bebê é bem pequeno, favorece que as mãos se encontrem, que o bebê sinta o contato de uma mão na outra, brinque com as mãos, tendo-as à frente dos olhos, facilitando que as conheça melhor.

Quando se ocupa brincando, interagindo, descobrindo o mundo, o bebê poderá dormir melhor. Os períodos de sono são importantes para o bebê assimilar o que experimentou.

Estar atento aos sinais de cansaço ajuda a graduar e saber quando parar. As manifestações mais comuns de cansaço são: bocejo, língua para fora, vira o rosto, estica-se para trás, irritação e às vezes choro.

Inicialmente brinca-se curtos períodos de cada vez – quando tudo está bem, saciado, confortável, alerta e prontinhos para a ação. Pouco tempo de cada vez, mas uma atividade rica, proveitosa, gostosa, divertida e com muito afeto!

A criança maior consegue manifestar o quanto brincar é vital priorizando o brincar em detrimento de qualquer outra atividade. E o bebê? Como manifesta sua necessidade vital de brincar? Temos garantido na rotina diária do bebê oportunidades para brincar junto?

Um dos objetivos da nossa oficina do brincar é instrumentalizar pais para enriquecerem as brincadeiras com os pequenos e proporcionar aos bebês e crianças um espaço acolhedor, prazeroso e facilitador do seu desenvolvimento!
O importante é se divertir!!
Vamos brincar juntos?

Inscrições pelo cel.: (11) 99811-5595 via WhatsApp ou e-mail: lacosdeencantamento@gmail.com

Saiba mais sobre nosso trabalho em:

Referências:
- Pulkkinen, A.: PEKIP: Estimular Bebês Brincando – Alles Trade Editora e Comércio Exterior Ltda
- Brazelton, T.B.; Greenspan, S.I.: As Necessidades Essencias das Crianças – Artmed Editora

Deixe seu comentário