16 jun Temas em Pediatria

Por que ensinar música ao bebê?


A música faz o pano de fundo para as nossas vidas e nós, seres humanos somos naturalmente atraídos por ela. Como a linguagem, ela tem o poder de se comunicar e de expressar emoção, motivar e nos inspirar. Une as pessoas, cria e nos remete a memórias , é fonte de alegria e conforto.
Smiling baby with headphoneA música desperta a imaginação e estimula a criatividade. Une cada parte de nosso ser, fisicamente, mentalmente, emocionalmente, socialmente e espiritualmente. Nos presenteia com uma liberdade de expressão diferente de qualquer outra forma de arte. Ao mesmo tempo, a música é altamente disciplinada e estruturada, desenvolvendo o cérebro e da promovendo o aprendizado

Os bebês aprendem sobre música e som desde antes do nascimento. É de dentro do ventre materno que recebe seus primeiros estímulos sonoros, através do som das batidas do coração de sua mãe. A primeira infância é um momento crucial para a aprendizagem quando o cérebro está passando por uma rápida transformação. Bebês gostam de aprender! São naturalmente criativos e curiosos, interessados em explorar o mundo ao seu redor em todas as suas facetas.
Música não é exceção. Fazer música juntos é extremamente gratificante para adultos e bebês. A música permite que você se relacione com seu bebê de uma maneira única, estreitando seus laços de amor, promovendo que seu bebê desenvolva novas habilidades brincando e se divertindo.

Iniciar o fazer música para a maioria dos adultos é uma condição que acaba sendo prejudicada por inibições, medo do fracasso, a falta de auto-confiança e uma sensação de exigência que provoca tensão e frustração. Pense bem: felizmente, bebês não têm nenhum desses sentimentos geradores de angústia para o aprendizado musical, pelo contrário, eles são naturalmente criativos, musicais, e não temem o fracasso, nem mesmo o conhecem! Abraçam e recebem a experiência musical em todas as suas facetas multissensoriais, pois a música se dá não apenas por estímulo auditivo, mas também se dá pela visão, tato e até mesmo olfato e paladar. Os bebês estão abertos a experimentação!
Para bebês a música pode criar um canal através do qual podem explorar livremente e mostrar a sua emoções. A música estimula a aprendizagem, criatividade e imaginação, promove e aprimora essas habilidades. Além disso, a música é amplamente reconhecida como um grande apaziguador do stress. A música acalma e relaxa o bebê, acalenta e conforta. Aliviam a tensão muscular, relaxa a respiração e estimulam ondas cerebrais (que imitam o pulso da música, causando relaxamento ou estimulação).

Os bebês, é claro, nascem com um desejo inato de aprender e capacidade de se comunicar.
Mesmo antes do nascimento, eles ouvem o som dos batimentos cardíacos da mãe, aprendem reconhecê-la pela voz, mostram uma preferência para a sua língua nativa e respondem a estímulos sonoros de dentro do ventre.
A orelha é formada na terceira semana de gestação e é o primeiro órgão sensorial para desenvolver conexões cerebrais. A partir da semana 16, a orelha é funcional e o
bebê está escutando ativamente por semana 24.

Ao nascer, um bebê é capaz de reconhecer músicas conhecidas em sua vida intrauterina e distinguir as vozes de seus pais. Ele mostra uma preferência marcada por músicas cantadas pela mãe ou pai .
Nas primeiras semanas de vida, os bebês ouvem atentamente o mundo ao seu redor. Eles aprendem a localizar a origem de um som, são surpreendidos por barulhos altos e embalados pelo “ruído branco” e música clássica.
Conforme continuam a desenvolver, bebês aprendem a imitar sons e criar alguns por conta própria, com objetos como panelas e colheres de pau e inclusive com seus próprios corpos e vozes. Eles balançam ao som da música e mostrar alegria, sorrindo, batendo palmas e aprendem a se revezar com outras crianças.
A pesquisa mostra que uma maior atenção ao desenvolvimento precoce da linguagem por parte dos pais e cuidadores incentiva o desenvolvimento de alfabetização e habilidades de comunicação. Os elementos
de música (por exemplo, ritmo, afinação, timbre), são os próprios elementos usados em falar uma língua e por esta razão, a música também é um pré-requisito fundamental para o desenvolvimento da linguagem, preparando o
ouvido e cérebro para ouvir, assimilar e produzir sons.

Texto extraído do livro “Teaching your young child music”, por Vicki Watson. Tradução Giovanna Puerto Carlin

A Casa Curumim tem uma atividade de Vivência Musical para bebês – informe-se neste link!

Deixe seu comentário