1 ago Aleitamento Materno

Relato de amamentação


Por Bárbara Greco Miura, mãe do Kenzo

DSC03635

Meu parto, apesar de cesárea, foi humanizado e Kenzo veio para meus braços assim que nasceu, sem necessidade de qualquer intervenção. Como chorou muito, o pediatra (Douglas) foi deixando que ele se acalmasse para ai sim começar a mamar ainda na primeira hora.

Kenzo sempre foi faminto e não passava de 2h sem mamar, e assim foi durante 2 meses, com espaçamento maior só na madrugada, quando dormia umas 5h, o que dava um bom descanso. Fui totalmente adepta da livre demanda.

No 3º mês, entretanto, ele esticou muito e não engordou, e Douglas ao avaliar viu que havia algo errado. Chamou a fono da clinica (Teresa) e ela observou que a língua dele era muito presa e que ele não estava mais fazendo a pega correta. Decidimos fazer a cirurgia que realmente é tranquila, em apenas 5 minutos a língua já esta solta e ele mamando.

Após isto, ainda passou por 2 sessões com Teresa e ela foi ensinando como posicioná-lo corretamente durante a mamada e exercícios para a língua também se posicionar corretamente.

Os 6 primeiros meses não foram fáceis. Sem o apoio emocional de meu marido, e profissional de Douglas e Teresa, não teria conseguido. Depois desse período, a amamentação virou prazer e realmente curto esse momento com Kenzo. Hoje, aos 17 meses, ele ainda mama livremente.

Pediatra – Douglas Nóbrega Gomes

Fonoaudióloga: Maria Teresa Sanches

 (depoimento escrito para a 22ª Semana Mundial de Aleitamento Materno – SMAM2013)

Deixe seu comentário